Continua após a publicidade...

Em Israel, assim como em outros paises, estão sendo feitas tentativas de encontrar uma vacina para o coronavírus assim como acelerar os testes já existentes. Como informa o site de divulgação científica EurekAlert, os pesquisadores da Universidade Ben-Gurion estão utilizando a tecnologia de inteligência artificial para conseguir estes resultados melhores em testes para assintomáticos.

Angel Porgador, um dos professores envolvidos na pesquisa, afirmou que os primeiros resultados destes são muito promissores e o método está sendo validado. Segundo ele, uma forma de diminuir a velocidade de propagação do novo coronavírus é aumentando o número de testes e quebrar a corrente de infecções.

Continua após a publicidade...

E por isso acelerar os testes da Covid-19 é tão importante. Para os responsáveis pela pesquisa, quanto mais cedo for possível identificar portadores sem sintomas da covid-19, mais cedo será possível retornar a uma vida normal.

Este novo teste é uma entre mais de 50 iniciativas da universidade israelense em combate ao novo coronavírus.

Outro avanço

Uma outra equipe de cientistas israelenses disse que está a poucos dias de completar a produção de uma vacina oral para o novo coronavírus. A expectativa é que o teste em humanos comece no dia 1º de junho.

Em entrevista ao jornal “The Jerusalem Post”, o doutor Chen Katz, líder do grupo de biotecnologia Migal, disse que o componente ativo da vacina ficará pronto em pouco tempo:

“Nós estamos nos estágios finais e em poucos dias nós teremos as proteínas – componente ativo”

contou.

Os pesquisadores passaram os últimos quatro anos desenvolvendo uma vacina para o vírus da bronquite infecciosa (IBV), que causa uma doença brônquica que afeta aves. A eficácia da vacina foi comprovada em ensaios pré-clínicos realizados no Instituto Veterinário. O combate ao coronavírus seria uma adaptação da pesquisa.

Um estudo feito em galinhas mostra que o vírus tem características genéticas similares ao covid-19. Os pesquisadores agora tentam completar a vacina em até três semanas e, se os resultados forem positivos, é possível que ela chegue ao mercado em 90 dias.